Visconde do Rio Branco, 25 de abril de 2019

BLOCO CAPS LOKI UNE INCLUSÃO E ALEGRIA NO CARNAVAL DE VRB

11 de março de 2019

USUÁRIOS E TRABALHADORES DO CAPS SAÍRAM FANTASIADOS PELAS RUAS E LEVANTARAM A BANDEIRA DA SAÚDE MENTAL HUMANIZADA

A sexta-feira de Carnaval (01) foi marcada pela primeira edição do Bloco CapsLoki, formado por servidores e usuários do CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) de Visconde do Rio Branco. A folia começou com uma concentração na varanda da unidade, localizada na Av. São João Batista (mais informações abaixo), seguida por desfile pelas ruas, com acompanhamento de marchinhas, até a Praça 28 de Setembro, palco principal da festa popular rio-branquense. Clique aqui e confira fotos do Bloco CapsLoki.

 

O nome foi escolhido pelos usuários e servidores do CAPS. “É uma homenagem ao Arnaldo Baptista, dos Mutantes, que tem um CD com nesse nome e uma frase marcante “Cêtá pensando que eu sou loki bicho”. Afinal, o que é ser normal?. Nos inspiramos também na música “Balada do Louco” que diz “Louco é quem me diz que não é feliz”, do mesmo compositor em parceria com Rita Lee”, contou Nara Queiroz, Coordenadora Municipal da Saúde Mental. Todos os adereços e fantasias foram feitos nas oficinas de artesanato pelos próprios usuários juntamente com a Artesã Debrandina Medeiros.

A primeira edição do Bloco CapsLoki ganhou contornos de luta e resistência, devido a discussão nacional em torno do sistema de Saúde Mental. “Especialmente esse ano, estamos vivendo um retrocesso muito grande em todas as conquistas desde a o início da reforma psiquiátrica na década de 70. Então, fomos para as ruas para dizer não à volta dos manicômios, não à volta do tratamento com eletrochoque, contrários à nota técnica do governo federal onde esses e outros retrocessos estão descritos”, enfatizou Rafaella Lima, Assistente Social do CAPS.

Os blocos de carnaval ligados à Saúde Mental são muito recorrentes em todo país e auxiliam na divulgação das ações nesta área, além da data do 18 de Maio onde oficialmente se comemora e se discute a Luta Antimanicomial. “O carnaval é mais uma data em que os usuários, suas famílias e trabalhadores da saúde mental vão para as ruas, e nos enredos, nas marchinhas, fantasias e faixas, levam suas lutas. Quem conhece o CAPS se encanta de ver como as pessoas ali encontram amizade, cuidado e nos ensinam a viver felizes com o que somos”, disse o Secretário Municipal de Saúde, Thiago de Castro.

Os usuários do CAPS também fizeram uma cobertura fotográfica do Bloco, como parte da oficina de fotografia, que irá se tornar em uma nova exposição na Unidade. Foram realizadas durante o mês rodas de conversa e assembleias com o tema da luta antimanicomial e da nota técnica divulgada pelo ministério da saúde, com as assistentes sociais Cátia e Rafaella, em suas respectivas oficinas. “É uma satisfação imensa saber que estas pessoas estão recebendo um atendimento acolhedor e adequado para suas necessidades em saúde e aqui em nossa cidade. Desde 2013 o objetivo da Prefeitura é tornar a Saúde Pública humanizada, e o CAPS é uma grande conquista para nós”, afirmou o Prefeito Iran.

 



11 de março de 2019 - 17:08

Data da Última Modificação: 11 de março de 2019 - 17:08

Comments are closed.