Visconde do Rio Branco, 31 de março de 2020

CLÁSSICOS MUSICAIS DOS ANOS 80 DERAM O TOM DO CAFÉ LITERÁRIO DO COLÉGIO MUNICIPAL

6 de dezembro de 2019

PROJETO PEDAGÓGICO FOI DESENVOLVIDO COM ALUNOS DAS TURMAS DE 8º E 9º ANOS DO TURNO VESPERTINO DA INSTITUIÇÃO

Conhecimento, cultura e ludicidade são os eixos explorados através do projeto “Café Literário”, desenvolvido junto aos alunos do turno vespertino do Colégio Municipal Rio Branco. Focalizando o tema “De volta aos anos 80”, a terceira edição da iniciativa ocorreu na noite da última quarta-feira (05), no Auditório Jotta Barroso, envolvendo os alunos das turmas de 8º e 9º anos em torno de apresentações de coreografias de clássicos musicais de época em destaque. O evento marcou simbolicamente o fim do segundo semestre letivo na instituição, que faz parte da rede educacional gerenciada pela Prefeitura de Visconde do Rio Branco.

O Professor e Coordenador de projetos do Colégio, Diego Ingran, salientou que o propósito da atividade é ampliar o leque de experiências pedagógicas dos estudantes. “Quando o aluno se vê pertencente de uma prática educativa, isso o faz se envolver com os conteúdos em busca de outras fontes de aprendizado. Em um contexto criado dentro da nossa instituição, entendemos que apresentações artísticas e culturais contam com uma gama muito grande de interesses, o que acaba fazendo com que o estudante se mostre seduzido por uma forma mais prazerosa de obter conhecimento”, disse o educador, que também é Vice Diretor do turno vespertino. “Foi bastante mágico trabalhar esse tema com os meus alunos. Esse tipo de projeto é feito por acreditarmos realmente que a educação muda o mundo”, relatou a Professora Nilva Luzia Alves, idealizadora do Café Literário.

Entre os artistas do espetáculo, o sentimento foi superação e de dever cumprido. “No começo, achamos que nada daria certo, pensamos até em desistir, mas a Professora Nilva nos apoiou e falou para corrermos atrás dos nossos objetivos. É uma experiência que valeu a pena, foi a primeira vez que fizemos uma apresentação e não esperávamos que sairia tudo bem feito, com muitas pessoas elogiando. Dentro desse trabalho, ficamos cientes de coisas do passado e pudemos aprender bastante coisa”, contou a aluna Sabrina Marcelino, de 16 anos. “Morro de medo de palco e tive que vencer isso para poder participar. Foi tudo muito lindo, só tenho agradecimentos à Nilva, ao Diego e a Diretora Tetê Amin, pois sem eles nada seria possível”, falou a estudante Jenifer Stefani da Silva, também de 16 anos.



9 de dezembro de 2019 - 20:29

Data da Última Modificação: 9 de dezembro de 2019 - 20:29

Comments are closed.

Abrir Zap
Fazer uma denúncia sobre Coronavírus...
Fazer uma denúncia sobre Coronavírus...
Powered by