Visconde do Rio Branco, 21 de outubro de 2019

PREFEITURA REPASSA R$200 MIL PARA O HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA

22 de maio de 2019

GESTÃO MUNICIPAL DIRECIONOU PARA INSTITUIÇÃO RECURSOS DEVOLVIDOS PELA CÂMARA DE VEREADORES

Para auxiliar o Hospital São João Batista a enfrentar a grave crise financeira que a direção da entidade tornou pública, a Prefeitura de Visconde do Rio Branco repassou, no dia 14 de maio, um recurso no montante de R$200 mil para a entidade filantrópica que a atende a população. O valor foi angariado através da devolução antecipada da Câmara de Vereadores, o que possibilitou a doação, visto que os cofres municipais também estão com orçamento baixo.

A Presidente da Câmara, Mabinha Cadedo, explicou que aprovou o adiantamento do repasse dos recursos, que legalmente só é obrigatório no final do ano, para auxiliar o Hospital. “São economias feitas pela Câmara e, ainda que não solucione o problema geral do Hospital, pois não está em nosso alcance, atendemos à solicitação do Prefeito Iran e realizamos este repasse com muito gosto”, disse Mabinha. “É um esforço realizado pelo município em conjunto com a Câmara para buscar alternativas de apoio para o Hospital. Vejo que esse repasse ajuda e espero que a gente consiga atender ao Hospital que tanto merece”, falou Thiago de Castro, Secretário Municipal de Saúde.

PREFEITO IRAN DESTACA PARCERIA DA CÂMARA PARA SOCORRER HSJB

“Agradecemos a presidente da Câmara pela liberação destes recursos. Sabemos que farão falta para a Prefeitura, pois temos vários estabelecimentos de Saúde e mais o Pronto Atendimento, que atende a cerca de três mil pessoas mensalmente que iriam para o Hospital, mas que fica na Rede Municipal de Atendimento Básico. Mesmo com a regularização dos repasses constitucionais, como o  ICM, IPVA e FUNDEB, o Estado tem com dívida de R$16,5 milhõesque serão pagos somente a partir de janeiro do ano que vem, em 33 parcelas, sendo que na Saúde a dívida é de R$6 milhões e não será paga. E o pior: temos vários programas suspensos pelo Governo do Estado, como o “Saúde em Casa”, que provê o oxigênio para pacientes em residência; e falta de repasse para medicamentos, sendo tudo isso sustentado apenas com recursos próprios.Apesar de ser um aporte financeiro que sentiremos falta,  achamos por bem repassar devido a necessidade apresentada pela direção do Hospital.  Enfim, as dificuldades são enormes e estamos trabalhando para superar este momento difícil que atravessa todas as cidades de Minas Gerais”

 



23 de maio de 2019 - 11:39

Data da Última Modificação: 23 de maio de 2019 - 11:39

Comments are closed.