Visconde do Rio Branco, 19 de junho de 2019

PROJETO DE PRESERVAÇÃO DA MEMÓRIA DE VRB É APRESENTADO A CARTÓRIOS E FÓRUM

8 de janeiro de 2019

PREFEITURA EM PARCERIA COM PROFESSORES DA UFOP EMPREENDE PLANO PARA RESGATAR DOCUMENTOS HISTÓRICOS

Representantes dos Cartórios e do Fórum da Comarca de Visconde do Rio Branco compareceram a uma reunião de apresentação do projeto de preservação da memória da formação da cidade, ação empreendida pela Prefeitura em parceria com professores da UFOP e UFJF. Os arquivos dos órgãos citados, mais os da Paróquia, serão digitalizados e estudados por historiadores, de onde podem surgir fatos desconhecidos que auxiliaram a forma a identidade rio-branquense e estabelecer o povoamento.

Alguns documentos possuem mais de 200 anos e estão fragilizados pelo tempo, mas a conservação por meio digital irá garantir o acesso sem prejuízo ao original. “Esse processo de preservação já faz parte da nossa rotina. Os documentos mais recentes já são digitalizados, e agora este projeto irá nos auxiliar nos livros mais antigos. Temos documento de 1882 que poderão ser acessados de maneira segura pelos pesquisadores”, comentou Débora Cândido, representante do Cartório de 1º Ofício de Notas. “É muito interessante para o Fórum, com documentos antiguíssimos que merecem ser analisados. Estamos abertos para auxiliar neste registro”, disse o Juiz de Direito André Luiz Melo da Cunha, Diretor do Fórum da Comarca.

Doutorando da UFOP, o rio-branquense Lincon Gonçalves Rodrigues participa do projeto. “Pesquiso sobre VRB do século XIX e uma das curiosidades que encontramos é que antes da Usina Açucareira ser fundada já existiam mais de 126 produtores de cana, uma história que começou em 1820. Esta documentação está no arquivo público mineiro em BH, faz parte dos relatórios do Presidente de Província onde o município ainda aparece como Vila do Presídio. Enfim, temos um cidade com uma documentação vasta e interessante”, disse o doutorando.

Através do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Artístico (COMPHAR), será adquirido uma máquina digitalizadora para realizar o processo. “Estamos em processo de licitação e em breve vamos iniciar o resgate, começando, a princípio, pelo Museu. É um projeto em que estou empenhado pois tenho certeza do potencial que temos em mãos”, contou José Geraldo Begname, Professor de História designado pela Prefeitura para atuar na ação. “VRB é a segunda cidade mais antiga da Zona da Mata, sendo um pouco mais jovem que Rio Pomba. É imprescindível que salvemos estes documentos que contam a história da urbanização de toda nossa região”, informou Cléber Lima, Secretário Municipal de Cultura, Turismo e Lazer, e também Presidente do COMPHAR.



8 de janeiro de 2019 - 12:57

Data da Última Modificação: 8 de janeiro de 2019 - 12:57

Comments are closed.